Morreu o jornalista Abel Abraão

A notícia foi avançada pela Televisão Pública de Angola e confirmada por colegas no Cuito. Abel Abraão morreu vítima de um AVC aos 57 anos de idade.

Abel Abraão, jornalista da Rádio Nacional de Angola (RNA), notabilizou-se na Emissora Provincial do Bié durante o conflito militar que eclodiu, após a realização das primeiras eleições gerais em Angola, em 1992.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

Abel Abraão levou ao conhecimento da comunidade nacional e internacional, através dos noticiários da RNA, os meandros da guerra na província do Bié. Em 1994 foi agraciado com o grande Prémio Maboque de Jornalismo.

Em Maio passado, foi homenageado na cidade do Cuito, em reconhecimento ao trabalho desenvolvido ao longo de mais de 30 anos de carreira, durante uma cerimónia pública organizada pelo projecto “Circuito Cultural”.

No passado dia 09 de Novembro foi inaugurada a Mediateca “Abel Abraão” do Bié, na cidade do Cuito, com capacidade para 180 pessoas, com um auditório com 122 lugares, sistema Wi-Fi gratuito, 14 TV’s corporativas, cafetaria com 24 lugares, espaço de leitura com 164 lugares, 86 computadores e uma área cultural para 300 pessoas. A inauguração contou com a presença do ministro das Telecomunicações e Tecnologia de Informação, José Carvalho da Rocha.

A instituição recebeu o nome de “Abel Abraão” em homenagem ao jornalista reformado da RNA, pela sua notabilização na cobertura da guerra pós-eleitoral de 1992.

Abel Abraão nasceu a 30 de Janeiro de 1962, na cidade do Cuito, província do Bié. Iniciou a sua carreira em 1980, tendo-se notabilizado como repórter de guerra com a cobertura jornalística, no Cuito, dos momentos mais difíceis do conflito armado pós-eleitoral de 1992.

Deixe o seu comentário