Nova companhia aérea angolana poderá ter aviões da Bombardier e Chinês

kalola Store

A transportadora estatal TAAG irá liderar o consórcio público-privado que vai operacionalizar o transporte aéreo doméstico, que integrará os operadores aéreos privados do país. A nova operadora  vai formar pilotos, mecânicos, assistentes de bordo, entre outros.

O ministro dos Transportes angolano, Augusto Tomás, reafirmou durante visita ao Canadá o interesse na aquisição de aviões  tipo Q-400, da construtora Bombardier, para equipar uma nova companhia aérea de voos domésticos em fase de constituição.

Segundo o ministro, a nova operadora de transporte aéreo poderá funcionar com  aeronaves do tipo Q-400, turbo-hélice, com capacidade para transportar 80 passageiros e performances adequadas a qualquer aeródromo existente em Angola, com um custo operacional baixo.

Augusto Tomás defendeu a solução que, segundo disse, possibilitará corrigir erros de vários anos,  com a utilização de aeronaves do tipo Boeing 737-700 para voos curtos e de pouca procura, o que contribuiu para os resultados financeiros negativos da TAAG.

O governante disse que estão identificados os meios e equipamentos que vão dinamizar a atividade comercial, visando em primeira instância encurtar as distâncias entre as regiões do nosso país, a preços baixos, competitivos e conformar  todos os pressupostos inerentes às normas internacionais da aviação civil. Angop

Os chineses da Xi’an Aircraft Industry Company já confirmaram a venda de duas aeronaves MA-60 para ligações domésticas em Angola, são duas aeronaves turboélice, cada uma com capacidade para transportar 60 passageiros e avaliadas em mais de 20 milhões de dólares.

“Os aviões MA-60 permitirão que o tempo de viagem dos passageiros em Angola seja reduzido”, afirmou o representante da Xi’an Aircraft Industry Company e acrescentou que esta venda vai aumentar a popularidade dos aviões da empresa no mercado internacional.

A empresa Xi’an, que já forneceu mais de uma centena destas aeronaves a vários países, inclusive africanos, em mais de uma década, também a Rússia já propôs ao Governo angolano fornecer aeronaves Sukhoi Superjet 100, de transporte de passageiros.

Sukhoi Superjet 100 é um avião regional moderno, equipado com a tecnologia fly-by-wire, bimotor, desenvolvida e fabricada pela Sukhoi é uma empresa russa de aeronaves. Criado para ser um avião com custos de operação mais baixos, com capacidade para transportar 108 passageiros e com preço avaliada de 35 milhões de dólares para cada unidade.

Fonte: Angola24

 

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.