Novo governador de Luanda garante atenção aos subúrbios da cidade

O novo governador de Luanda assegurou esta terça-feira que vai reforçar atenção aos “subúrbios, musseques e zonas periféricas” da província com “pequenas iniciativas, mas com impacto e duradouras”, exortando os administradores a estarem ao “serviço do cidadão”.

“As administrações devem assumir o seu papel devido, isto é, estar ao serviço do cidadão em primeira instância. Se assim não for é legítimo e normal que o cidadão de Luanda entenda que a solução dos seus problemas está no governo provincial”, disse esta terça-feira Sérgio Luther Rescova.

Falando na cerimónia de recepção de pastas e de apresentação aos seus colaboradores directos, que teve lugar na sede do Governo Provincial, afirmou que a população de Luanda merece esta dedicação e “vai apoiar” os governantes, se agirem desta forma. “Com inclusão, isto é, sem olhar para outros factores de diferença social que possam existir”, apontou.

Mesmo com dificuldades económicas , referiu, “uma dinâmica funcional, efectiva, de maior desconcentração administrativa ajudará em grande medida a contribuir na tarefa de implementação, de forma gradual, das autarquias locais”, previstas para 2020.

Na sua intervenção nesta cerimónia presidida pelo ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida, o governador da capital angolana defendeu “reforço da atenção às zonas periféricas” da cidade por concentrarem grande parte da população.

“Reafirmamos o apoio às medidas de combate à corrupção, impunidade, especialmente, o respeito e rigor na observância das regras de gestão orçamental, contratação pública e outras no domínio das finanças públicas”, disse.

A melhoria na limpeza e saneamento básico, das estradas secundárias e terciárias, bem como do sistema de drenagem das águas das chuvas foram igualmente reiteradas por Sérgio Luther Rescova, garantindo ainda “atenção particular” ao sector da saúde.

Para a educação, na capital angolana com cerca de sete milhões de habitantes, Luther Rescova prometeu dedicar uma “atenção especial”, sobretudo, aos preparativos em curso para a abertura do ano lectivo de 2019, tendo em vista “o aumento da oferta escolar aos cidadãos, mas também da qualidade formativa e organização das instituições de ensino”.

O governador de Luanda pediu o envolvimento de mulheres, jovens, membros da sociedade civil e igrejas para a melhoria da capital, afirmando que a segurança pública e a “Operação Resgate” (que, segundo as autoridades, visa “repor a autoridade do Estado” em todos os domínios) “devem manter-se nas prioridades” para se ter a Luanda desejada.

Já o ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida, referiu que o percurso político de Luther Rescova garante um “bom desempenho” nas novas funções, reconhecendo contudo que Luanda “é uma província complexa de governar”. “Temos que reconhecer que há ainda uma excessiva intervenção da administração central , um défice considerável de coordenação e articulação institucional entre a administração central e os órgãos da administração”, admitiu.

Adriano Mendes de Carvalho, governador cessante de Luanda, pediu na ocasião que Sérgio Luther Rescova dê “continuidade” aos programas de “reabilitação das estradas secundárias” e terciárias e uma “atenção especial à implementação do Programa Saúde 2022”.

Fonte: Lusa.

Deixe o seu comentário