Obras do novo aeroporto de Luanda retomadas no início de 2021

kalola Store

O ministro dos Transportes angolano garantiu na segunda-feira, 23, que o novo Aeroporto Internacional de Luanda não terá financiamentos adicionais, e que as obras vão ser retomadas no início do próximo ano para estarem concluídas nos próximos dois anos.

“Fechámos acordo com o grupo empreiteiro para retomar as obras no início do próximo ano”, disse Ricardo Viegas d’Abreu, num encontro com jornalistas, adiantando que estão a ser resolvidos alguns problemas logísticos relacionados com a deslocação de técnicos chineses, devido à pandemia de covid-19.

Nessa altura, adiantou o governante, será possível definir com maior precisão o cronograma da obra, mas a expectativa é que se prolongue por mais dois anos.

As obras do novo Aeroporto Internacional de Luanda, em construção por empreiteiros chineses há mais de uma década com recurso a linhas de crédito da China, tiveram de ser submetidas a correcções de engenharia, para adequar a estrutura aos padrões da modernidade, inovação e de conforto dos passageiros.

Segundo o ministro, o projecto tinha já um financiamento aprovado de 1,4 mil milhões de dólares (1,2 mil milhões de euros) para concluir as obras, que considerou “mais do que suficiente” para finalizar o projecto.

“Foi necessário reavaliar o projecto, assegurámos que fossem feitos ajustes técnicos e chegámos a acordo quanto à necessidade não haver financiamento adicional, conseguiu-se acomodar”, sublinhou o governante.

Depois da conclusão das obras, o novo Aeroporto Internacional de Luanda terá ainda de passar por um período de testes e de certificações, antes da entrada em funcionamento, acrescentou.

Os vários contratos públicos e empreitadas envolvendo as obras do novo Aeroporto Internacional de Luanda e as acessibilidades rodoviárias estão avaliados em mais de 6.300 mil milhões de dólares (cerca de 5.320 milhões de euros), prevendo-se que a nova infra-estrutura possa acolher até 15 milhões de passageiros por ano.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.