Oferta de 4,6 mil milhões de dólares junta DSV e Panalpina

De acordo com esta oferta, a empresa dinamarquesa irá oferecer 2,375 de acções para uma acção da concorrente, que agora se irá aglomerar à DSV. A transacção tem um valor aproximado de 4,6 mil milhões de dólares.

Caso este negócio seja bem-sucedido, a fusão das duas entidades irá criar uma das maiores empresas de transporte e logística a nível mundial, com uma receita prevista de cerca de 15.800 milhões de euros, operando em 90 países . O acordo deverá estar fechado no final do presente ano.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

O conselho de administração da Panalpina recomendou aos accionistas que aceitassem a oferta da DSV, uma vez que a transacção já conta com o apoio de accionistas que representam 69,9% da empresa.

A empresa suíça afirma que as divisões aéreas e marítimas serão substancialmente reforçadas com um volume de cerca de 3 milhões TEUS e mais de 1,5 milhões e mais de 1,5 milhões de toneladas de carga aérea por ano. Para além disso, os serviços de transporte rodoviário da DSV constituem um forte complemento para os serviços que já existem na Panalpina .

No que diz respeito aos serviços logísticos, estes ganham cada vez mais importância para ambas as entidades, devido às “complexas cadeias de valor e à mudança nos canais de distribuição”. A divisão de soluções logísticas será reforçada com esta união e a Panalpina irá fornecer capacidade de armazenamento de mais de 500.000 metros quadrados.

Kurt Larsen, presidente do conselho de administração da DSV, comenta que esta combinação “fortalece ainda mais a nossa posição como uma empresa líder global de gestão de cargas. Juntos, podemos apresentar uma forte rede global e ofertas de serviços aprimoradas para os nossos clientes, solidificando ainda mais a nossa vantagem competitiva no sector. A Panalpina é uma grande empresa e estamos muito entusiasmados com a possibilidade de unir forças (…)”.

Por sua vez, o conselho de administração da Panalpina afirma que, após terem negociado com a empresa dinamarquesa chegaram à conclusão que “a proposta actualizada da DSV é muito atraente. Estamos agora ansiosos para unir forças com a DSV e contribuir para a criação de uma das maiores empresas de transporte e logística do mundo”.

A Panalpina começou a sua actividade em Angola, no início da década de 80 através da já extinta Agência Marítima Ocidente. Posteriormente, tornou-se uma empresa de direito angolano, com escritórios em Luanda e delegações em Cabinda, Soyo e Lobito . No período 2006-2009, a empresa chegou a ter em Angola cerca de 500 funcionários .

A Vivências Press News está envidar esforços, no sentido de obter uma reacção da Panalpina Angola sobre o assunto.

Fonte: Supply Chain Magazine.

Deixe o seu comentário