ONG apoia melhoria do processo de ensino-aprendizagem nas escolas

kalola Store

Vinte e cinco escolas do I ciclo do ensino secundário, nos municípios do Huambo e Caála, estão inseridas, desde finais do ano passado, num projecto de melhoria do processo de ensino-aprendizagem.

A iniciativa, financiada pela fundação espanhola Pró-Futuro, está a ser implementada pela Organização Não Governamental (ONG) World Vision, que pretende alargá-la a mais escolas caso surjam financiamentos.

Em declarações hoje, segunda-feira, à ANGOP, o director de operações desta organização humanitária, Jorge Pires, informou que as 25 escolas beneficiaram, até ao momento, de plataformas digitais e formação dos professores para lidar com estas tecnologias de ensino.

Explicou que as plataformas digitais, que funcionam através da conexão de uma rede de tablets dos professores e alunos, além de facilitarem a partilha dos conteúdos, constituem um método inovador do sistema de ensino-aprendizagem, promovendo também o acesso dos alunos e professores às tecnologias de informação e comunicação.

Informou ainda que a primeira fase de implementação deste projecto, avaliado em 200 mil dólares norte-americanos, encerrou em Maio, devendo arrancar entre Agosto e Setembro a 2ª fase.

Por enquanto, Jorge Pires admitiu que os resultados do processo de ensino-aprendizagem nas 25 escolas abrangidas são satisfatórios, facto que motivou o doador a comprometer-se com a continuidade do projecto.

O sector da Educação na província do Huambo tem 1.218 escolas públicas, sendo 1.096 do ensino primário, 93 do I ciclo, 18 do II ciclo do ensino secundário, sete de formação de professores e quatro do ensino técnico-profissional, frequentadas por 915.817 alunos.

A World Vision foi fundada em 1951 na Korea, por Robert Pierce, um pastor americano da Igreja Baptista, e está presente em Angola desde 1988 em 15 províncias. Tem como um dos seus alvos a transformação humana, trabalhando a favor de pobres e oprimidos, implementando projectos de desenvolvimento e de emergência em 100 países de distintos continentes.

No caso concreto de Angola, Jorge Pires informou que os projectos desta ONG estão alinhados ao Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) do Governo, tendo em conta as prioridades definidas no âmbito da agenda 2020-2030.

Fonte: Angop

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.