Os assentos dos aviões podem mudar radicalmente

kalola Store

Preocupado com o pouco espaço para as pernas nos aviões? Uma revolução nos lugares dos aviões poderá estar para breve.

O novo protótipo dos bancos dos aviões assemelha-se ao selim de uma bicicleta, mas com um encosto lombar.

A Aviointeriors, fabricante de assentos com sede em Itália, atualizou o seu conceito de bancos em pé que tem vindo a apresentar há alguns anos (mas que nenhuma companhia aérea comprou até ao momento). O SkyRider 2.0 é a nova solução inteligente e moderna de bancos para as aeronaves do futuro. O objectivo é acomodar ainda mais pessoas nos aviões.

A Aviointeriors explica que «o SkyRider 2.0 garante a posição vertical do passageiro melhorada, permitindo a instalação de assentos num espaço reduzido, enquanto mantém um conforto adequado».

O selim é tão estreito que o compartimento onde fica guardado o colete salva-vidas se tornou uma característica de design proeminente em vez de um elemento invisível do assento.

Os apoios para os braços são bem mais generosos do que alguns dos que se podem ver nos novos assentos da classe económica.
«O design deste assento permite aumentar em 20% o número de passageiros, permitindo aumentar os lucros das companhias aéreas. O Sky Rider 2.0 pesa menos 50 por cento do que os assentos da classe económica novos e o número reduzido de componentes permite custos mínimos de manutenção», afirma a Aviointeriors.

A empresa revelou o SkyRider 2.0 na Aircraft Interiors Expo, em Hamburgo, um evento direcionado a compradores das companhias aéreas, e não ao público viajante. Num mundo ideal, os interesses dos compradores das companhias aéreas e dos passageiros deveriam estar lado a lado. No entanto, no mundo real, esse nem sempre é o caso.

Para a exposição, a empresa pintou o novo Sky Rider 2.0 nas cores da Ryanair – e isso não é uma coincidência.

Na altura em que a primeira versão dos assentos em pé foi lançada, o CEO da Ryanair, Michael O’Leary, brincou com a possibilidade de considerar ter pessoas a viajar em pé. Mas isso foi apenas mais uma da série de declarações de O’Leary. A Ryanair tem assentos padrão nos aviões e anunciou que não planeia lançar uma classe em pé.

Especialistas em assentos de aeronaves ainda olham de lado o SkyRider. Para começar, há questões de segurança que podem surgir se os passageiros estiverem em pé durante um acidente. O espaço dos compartimentos superiores seria menor, pois os regulamentos exigem uma folga vertical entre as cabeças dos passageiros e a superfície rígida acima, em caso de turbulência. E não há espaço para guardar objetos pessoais debaixo do selim.

Mas a Aviointeriors não gasta todo o seu tempo a redesenhar um assento que ninguém compra. Esta empresa também faz bancos para classe económica, para a business classe e primeira classe.

Fonte: VM

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.