Padre português relata em livro memórias ao lado de Jonas Savimbi 

kalola Store

O livro “O Padre de Savimbi”, segundo a Alêtheia Editores, é um testemunho pessoal de António Oliveira, então jovem missionário claretiano português que desempenhou, antes e depois do 25 de abril de 1974, dia da “Revolução dos Cravos”, um importante papel de negociador entre a União Nacional da Independência Total de Angola (UNITA) e as autoridades militares portuguesas.

A obra, de 332 páginas, contém várias cartas inéditas em anexo, tem prefácio do cardeal patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, e foi apresentada neste sábado, 07, no auditório do Colégio Universitário Pio XII, em Lisboa, pelo embaixador português António Monteiro, na presença do general Pezarat Correia, que integrou a delegação portuguesa que negociou a independência de Angola com os movimentos de libertação.

Segundo a editora, a obra é um “documento histórico fundamental” para conhecer Savimbi – ” contém diversas cartas inéditas para o padre Oliveira” e  integra” algumas surpreendentes revelações ” das negociações com o governo português

Entre as revelações contidas no livro está um “bilhete” enviado ao autor antes do “25 de abril” pelo general Soares Carneiro ( faleceu em janeiro de 2014 aos 86 anos), então secretário-geral da província ultramarina portuguesa de Angola.

“Diga ao Dr. Savimbi que Portugal vai dar rapidamente a independência a Angola e ele poderá ser um dos parceiros privilegiados no momento das negociações”.

“António Oliveira desempenhou o papel de intermediário nas negociações secretas entre o fundador da UNITA e as autoridades portuguesas em diversos momentos -chave da vida angolana e faz no seu relato um retrato rico dos momentos vividos junto de Savimbi e da controversa personalidade deste líder angolano que , iniciando uma luta pela independência do seu país, comete crimes brutais contra os seus adversários “, lê-se na nota de imprensa da editora.

Este livro é um testemunho pessoal do padre António Oliveira, missionário claretiano português a residir no Luso, em Angola a partir d 1971, altura em que se registavam os principais confrontos entre o exército português e a UNITA.

O padre António Oliveira nasceu em Ribeirão, Vila Nova de Famalicão, a 08 de fevereiro de 1943 e, logo após ter sido ordenado sacerdote na Sé de Lisboa, partiu em outubro de 1970 para Angola como missionário colaborando na missão que os claretianos portugueses haviam fundado recentemente no leste de Angola, diocese do Luso, no epicentro do conflito que a UNITA de Jonas Savimbi vinha mantendo contra o exército português.

Fez parte da direção do Colégio Universitário Pio XII, Lisboa, durante 27 anos como director. Actualmente está integrado na Comunidade Claretiana do Colégio Internato dos Carvalhos (Vila Nova de Gaia).

Os Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria ( Claretianos), fundados em Espanha, em 1849, por Santo António Maria Claret, são mais  conhecidos por missionários claretianos.

Fonte : Lusa

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.