Participação de Angola no CAN em risco por falta de pagamento de prémio de qualificação aos jogadores e equipa técnica

Numa publicação nas redes sociais divulgada ontem , o jornalista Honorato Silva voltava alertar o país sobre a situação que os jogadores da selecção sénior masculina de futebol têm estado a viver no estágio que efectuam na zona de Aveiro, em Portugal.

“Selecção Nacional ainda não tem data de partida para o Egipto. Por atraso na conclusão do expediente de viagem, a comitiva perdeu a reserva feita para hoje (quinta-feira), na rota Lisboa/Madrid/Cairo, com ligação por estrada à cidade de Suez”, alertava o jornalista na sua página Facebook.

Hoje, sexta-feira, 14 de Junho, os Palancas Negras terão certeza se viajam mesmo no sábado. “Angola é único país, dos 23 visitantes, sem confirmação de chegada, de acordo com fonte próxima à CAF”, diz Honorato Silva na sua publicação.

Uma fonte da Vivências Press News confirmou que acompanha o estágio dos atletas, confirmou que, na manhã desta sexta-feira, 14 de Junho, a situação ainda não estava resolvida e que havia intervenção de várias instituições, incluindo a própria embaixada de Angola em Portugal (através do Sector de Cultura e Desporto), no sentido de encontrar uma “plataforma de entendimento”.

“Os jogadores estão aborrecidos com a situação que estão a viver. A Federação promete e não cumpre, até agora não houve pagamento dos prémios de qualificação e sem isso os jogadores não irão sair de Portugal. Eles [os jogadores] cumpriram com aquilo que lhes foi orientado, agora resta a Federação fazer o seu trabalho. Tudo isso é mau para os atletas e vergonhoso para o país. Não havia necessidade de estarem a passar por”, afirmou hoje a mesma fonte .

Os jogadores e equipa técnica continuam à espera que a FAF regularize os pendentes financeiros, com pagamento das diárias e do prémio de qualificação dados pela Confederação Africana de Futebol (CAF).

A CAF atribuiu o valor de 500 mil dólares aos Palancas Negras pela sua qualificação ao CAN 2019. Artur Almeida e Silva, presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), confirmou o valor e esclareceu ter recebido garantias de recepção de metade do prémio (250 mil dólares) a qualquer instante e o restante mais tarde.

O prémio de qualificação da CAF, seria pago antes da estreia na competição, a 24 de Junho, frente à Tunísia. Do valor global, 300 mil dólares serão repartidos entre os 23 atletas ( 13 mil dólares para cada um dos jogadores) e 200 mil para os membros da equipa técnica.

O CAN 2019, realiza-se de 21 do corrente a 19 de Julho, no Egipto. Angola está no grupo E, com as selecções da Mauritânia, Mali e Tunísia e começa a campanha no dia 24, frente aos tunisinos.

Deixe o seu comentário