Pepetela é o vencedor do Prémio Literário do Correntes d’Escritas 2020

O escritor angolano Pepetela é, com Sua Excelência, de Corpo Presente (Dom Quixote, 2018), o vencedor do Prémio Literário Casino da Póvoa do Corrente d’Escritas 2020. O anúncio foi feito esta manhã na cerimónia de abertura oficial do festival que reúne escritores de expressão ibérica na Póvoa de Varzim.

A entrega do prémio, no valor de 20 mil euros , terá lugar na sessão de encerramento do festival, no próximo sábado, às 18h. O escritor já anunciou que não poderá estar presente, por ter sido operado recentemente.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

Foi por unanimidade que o júri constituído por Ana Daniela Soares, Carlos Quiroga, Isabel Pires de Lima, Paulo Mendes Coelho e Valter Hugo Mãe atribuiu o prémio a Pepetela, destacando “a originalidade do estratagema narrativo eficaz para denunciar com ironia uma história de nepotismo e abuso de poder próprios de sistemas totalitários” e manifestando-se “sensível à dimensão antecipativa da ficção do autor, que estabelece fortes pontos de contacto com a realidade actual”.

Pepetela, 78 anos, sucede ao poeta Luís Quintais, distinguido em 2019 com A Noite Imóvel. Prémio Camões em 1997, Pepetela integrava a lista de 15 finalistas nomeados pelo júri a partir de mais de 120 candidatos.

Pepetela é o primeiro escritor africano a ver o Prémio Literário do Correntes d’Escritas.

O primeiro Prémio Literário Casino da Póvoa foi atribuído em 2004 a Lídia Jorge, pelo romance O Vento Assobiando nas Gruas. Distinguindo de forma alternada a poesia e a prosa, conta entre os seus premiados Carlos Ruiz Zafón, Maria Velho da Costa, Pedro Tamen, Rubem Fonseca, Hélia Correia, Fernando Echevarría, Javier Cerca e Ana Luisa Amaral, entre outros autores.

Fonte : Público.

Deixe o seu comentário