Policia Nacional avisa que actos de xenofobia contra cidadãos da RDC serão punidos

A “Operação Transparência” foi lançada a 25 deste mês em Malanje com o objectivo de impedir actos sistemáticos de violação das fronteiras do país e da entrada e exploração ilegal de diamantes que tem se registado nos últimos tempos.

Numa primeira fase, decorre nas províncias de Malanje, Lunda Norte, Lunda Sul, Moxico, Bié e Zaire, onde estão envolvidos efectivos da Polícia de Guarda-Fronteiras , de Investigação Criminal, da Imigração e Estrangeiros e outros órgãos afectos ao Ministério do Interior.

Em declarações à imprensa, a propósito das agressões a que os cidadãos da RDC sofreram no mercado “Portão do Leste”, vulgo Candembe, em Saurimo, o Comandante em exercício da Polícia Nacional na Lunda Sul assegurou que os órgãos de Defesa e Segurança nesta província não permitirão que tal facto volte a acontecer, sob pena dos autores serem responsabilizados criminalmente.

“O cidadão angolano residente nesta província que se aproveitar da Operação Transparência e optar pela xenofobia ou sabotagem aos estabelecimentos dos congoleses residentes nesta região, mesmo aqueles que se encontram em situação ilegal, sentirá a mão pesada da Polícia Nacional”, avisou o mesmo comandante .

O sub-comissário, João Ângelo observou que as relações entre Angola e RDC são boas e a missão do Estado angolano nesta operação é disciplinar a exploração de diamantes, retirando cidadãos, sobretudo estrangeiros, das zonas de garimpo.

Esclareceu que tal operação não deve ser confundida com repatriamento de cidadãos estrangeiros do território angolano mas, sim, uma medida que visa repor a ordem na exploração de diamantes, para que este sector contribua de forma robusta na arrecadação de receitas para o Estado.

Notou igualmente que a imigração ilegal não deve ser encarada apenas na vertente criminal, porque ela acontece por varias razões, dentre as quais a guerra, pobreza, perseguição política, religiosa, catástrofes e outros fenómenos naturais.

Na sexta-feira, 12, vários cidadãos angolanos, alguns dos quais detidos pela Polícia Nacional, protagonizaram actos de violência contra os congoleses que comercializavam produtos diversos no mercado “Portão do Leste”, vulgo Candembe, saqueando diversos bens seus.

Fonte: Angop

Deixe o seu comentário