Ponto fraco vs. Ponto forte

As pessoas apelam muito ao ponto fraco para justificar determinados falhanços nas suas vida. Dizem que têm pouca paciência e por isso comportam-se de uma determinada maneira, ou que tiveram problemas na infância, e por isso é que se comportam de outra determinada maneira… 
Andam tão atentas ao que têm de pior, que acabam por aumentar essa característica na personalidade delas. Aquilo em que te focas acaba por ser aquilo que mais ganha tamanho. 
É engraçado, porque a maior parte das vezes este discurso auto-pejorativo é usado como um escudo perante as atitudes que se poderiam tomar se a pessoa se focasse mais nas suas qualidades. 
Não é o ponto fraco que faz a diferença, e sim o ponto forte que distingue as nossas vidas. Devíamos prestar mais atenção às nossas qualidades, só dessa forma é que elas ganham mais volume. 
Olhamos por exemplo para Albert Einstein, que tinha atrasos de desenvolvimento e aprendizagem… Ele não se focou na sua falta capacidade de se concentrar numa sala de aula, ele focou-se na sua capacidade de pensar fora da caixa. Se assim não fosse, nunca teria ganho o Prémio Nobel de Física, por descobertas que se estudam nas escolas até aos dias de hoje. 
Olhamos para Martin Luther King, que viveu numa época em que a raça negra era desfavorecida, mas ele não olhou para as dificuldades, ele decidiu investir nas suas capacidades de liderança. 
Olhamos para artistas como Ray Charles e Stevie Wonder, que ficaram cegos ainda crianças, mas não se focaram no que não podiam ver, que era o ponto fraco, focaram-se no que podiam ouvir, que era os seus pontos fortes. Os dois são músicos importantíssimos na história da cultura musical, e os dois tocam piano de forma fantástica. 
Olhamos para Nick Vujicic, que nasceu sem pernas e sem braços, mas decidiu não focar-se nessa fraqueza física. Focou-se nas suas capacidades comunicativas, e hoje, além de ter dois diplomas universitários, tem uma empresa sem fins lucrativos onde faz palestras motivacionais… Já falou à frente de milhões de pessoas nos 5 continentes, aparece constantemente na televisão e já escreveu livros. 
Olha para todas as histórias de heróis… A metáfora de David e Golias está em todo o lado. 
Agora olha para ti… Qual é a tua fraqueza? Pensa bem… Não interessa! O que interessa é a tua força e o que vais fazer com ela. Mas tens estado focado em quê?
O interessante é que provavelmente sabes todas as tuas fraquezas e defeitos, mas não sabes dizer-me o teu ponto forte. Não sabes definir-me em palavras a qualidade que tu tens, e que o mundo precisa. 
Sim é isso mesmo! Tu tens algo que o mundo precisa! Mas preferes muitas vezes esconder-te atrás defeitos e fraquezas! Uma novidade para ti: Não estás sozinho(a)! Todos temos coisas menos boas! Isso não é drama nenhum. Mas não são as nossas fraquezas que mudam o mundo. É a nossa força interior. 
Neste momento a única diferença entre ti e os heróis deste mundo, é que tu olhas para o que não tens, e eles olharam para o que tinham. Pegaram nisso e ofereceram ao mundo. 
Pensa nisso…
Até para a semana!

Deixe o seu comentário