Portugal: Diplomata guineense ataca com ácido namorado da ex-companheira

Um diplomata de 40 anos, pertencente aos quadros da embaixada da Guiné-Bissau em Lisboa, foi identificado pela Polícia de Segurança Pública (PSP) como o autor da agressão com ácido a um homem de 38 anos, actual namorado da sua ex-companheira.

A vítima foi atacada no interior da casa do diplomata, em Algueirão, Sintra, e está agora internado em coma induzido e em risco de ficar cego.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

O agressor e a antiga namorada encontram-se em processo de separação. Têm um filho em comum, cuja custódia judicial está a ser discutida em tribunal.

Pelas 17h00 de domingo, a mulher e o novo namorado foram à casa do diplomata, quando este não estava. A ideia era ir buscar alguma roupa.No entanto, ao que o Correio da Manhã apurou, o diplomata terá sido avisado da presença da antiga companheira e do novo namorado. apareceu na casa armado com uma catana e um frasco com ácido sulfúrico, cujo conteúdo atirou contra cara do homem de 38 anos .

Em pânico, a mulher chamou os meios de socorro. Os bombeiros e a PSP foram rápidos a chegar ao local do crime. A vítima apresentava ferimentos muito graves. Foi transportado para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa. Por decisão médica foi colocado em estado de coma induzido. Tem queimaduras diversas, mais concentradas na zona do rosto, e corre sérios riscos de ficar cego.

O agressor não fugiu do local do crime. Foi identificado pela PSP, e autorizado a sair em liberdade. A investigação prossegue.

O Correio da Manhã contactou Hélder Vaz, embaixador guineense em Lisboa. Em Bissau, o diplomata disse ter telefonado quatro vezes ao funcionário para apurar os factos, mas sem sucesso.

Não é de descartar a possibilidade de o diplomata guineense responsável pelo ataque se poder escudar na imunidade diplomática, para se livrar da responsabilidade judicial pela grave agressão.

Fonte: Correio da Manhã.

Deixe o seu comentário