Portugal: Nomeações familiares forçam terceira saída do Governo

É a terceira saída no Governo português causada pelas relações familiares: João Ruivo, marido da secretária de Estado da Cultura Ângela Ferreira, pediu a demissão de técnico especialista da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional.

a A nomeação e exoneração foram publicadas no mesmo dia.

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional confirma a saída mas descarta que esta tenha sido causada pelo facto de a mulher estar também no Governo.

João Ruivo foi nomeado a 28 de Março, menos de seis meses depois de Ângela Ferreira ter entrado para o Governo, e acabou por ficar apenas 13 dias no cargo.

O técnico não tinha qualquer formação universitária concluída e encontrava-se inscrito, desde o ano passado, numa licenciatura de Gestão Autárquica.

O Presidente da República portuguesa não quis comentar esta saída. Contudo, Marcelo Rebelo de Sousa rejeitou estar a condicionar a nova lei sobre a nomeação de familiares ao avançar com uma proposta específica para Belém.

A iniciativa é mais restritiva do que a do PS: proíbe a nomeação de familiares até ao sexto grau, face ao quarto grau dos socialistas.

Rui Rio, líder do PSD, diz que o que vê “é o Governo a meter os pés pelas mãos, a tentar limpar-se de qualquer maneira”.

Fonte: CM.

Deixe o seu comentário