Portugal: Vagas no SEF à venda por 650 euros

Há uma rede altamente organizada que se está a aproveitar do desespero dos imigrantes para ganhar milhares de euros em Portugal.

Um dos esquemas, que está na mira da Polícia Judiciária, depois da denúncia do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), é liderado por um cidadão brasileiro, natural de São Paulo, que opera a partir do Seixal. Este facilitador cobra até 650 euros por uma vaga de atendimento do SEF.

publicidade

O esquema é simples: para terem autorização de residência em Portugal, os imigrantes precisam de ter acesso ao site do SEF. Sem esta autorização estão em situação irregular. É aqui que surge uma oportunidade de negócio. Estes facilitadores vigiam o site do SEF, 24 horas por dia, e captam todas as vagas que encontram para servir os clientes.

“Um agendamento para Agosto ou Setembro são 650 euros. Se fosse para Outubro e Dezembro são 350 euros. Mais 100 euros se for para excluir os Açores e a Madeira da pesquisa”, revelou ao Correio da Manhã este responsável, adiantando que, neste momento, tem 34 clientes em espera. Ou seja, recebeu cerca de 22 mil euros para contornar o sistema.

O pagamento é antecipado. “Nós temos uma equipa de pessoas que busca 24 horas por dia. O dinheiro não é utilizado até concluirmos o serviço”, explicou.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

Há imigrantes que esperam há um ou dois anos por uma vaga. É o caso de Paula, natural de Minas Gerais, no Brasil. “Pediram-me 650 euros mas não tenho esse dinheiro. Sinto-me refém em Portugal. Trabalho, faço os meus descontos e não posso sair do país. Fazemos planos e de repente ficamos presos a um computador à espera que o SEF liberte vagas”, conta a imigrante de 26 anos.

Os alarmes soaram no SEF quando os inspectores detectaram um volume anormal de acessos ao sistema de agendamento conhecido por SAPA. A corrida às vagas aconteceu em pouco mais de dez dias, entre 26 de Abril e 8 de Maio. Nesse período houve uma libertação de cerca de duas mil vagas, mas as senhas foram ocupadas num curto espaço de tempo.

Fonte: CM.

Deixe o seu comentário