Prémio Nacional de Cultura e Artes 2018 para Viriato da Cruz, Fidel Reis e Waldemar Bastos

O júri do Prémio de Cultura e Artes, edição 2018, atribuiu o prémio na modalidade de festividades culturais populares aos Bakama de Cabinda.

Trata-se de uma instituição secular, apontada como um dos grandes baluartes da defesa e preservação da afrocacia e angolanidade do povo de Cabinda.

Já na modalidade de Jornalismo Cultural, o prémio foi atribuído ao Programa Televisivo da Huíla Tudo e Mais, que ao longo  de 10 anos de transmissão insere e destaca elementos tradicionais e contemporâneos da cultura huilana.

Em cinema e audiovisuais foi distinguido, a título póstumo, o realizador Misael Almeida, um profissional que se destacou no género documentário pelo conjunto da sua obra, em que se destacam gravuras e pinturas de Tchitudu Hulo, Efico-ritual da puberdade da mulher mumuila.

Na investigação em ciências humanas e sociais, o júri atribuiu o prémio ao historiador Fidel Raul Carmo Reis, pela obra intitulada Era uma vez..O campo político angolano (1950-1965), que se contextualiza a nível regional e internacional.

No teatro foi distingui o grupo Ngwizane txikane pela obra Cassinda não volta atrás, que retrata a forma original, os valores cukturais e morais da vida social do município do Bailundo (Huambo).

O júri distinguiu ainda Waldemar Bastos (música), Kidá (artes plásticas), Jaka Jamba (menção honrosa), Sakaneno João de Deus (dança) e Viriato da Cruz (literatura).

O Prémio Nacional de Cultura e Artes é atribuído nas categorias de literatura, artes plásticas, dança, música, teatro, cinema e audiovisuais, investigação em ciências humanas e sociais, festividades culturais populares e jornalismo cultural.

O Prémio Nacional de Cultura e Artes é a mais importante distinção do Estado Angolano neste sector, tendo como principal objectivo incentivar a criação artística e cultural, bem como a investigação científica no domínio das ciências humanas e sociais.

O prémio constitui uma homenagem e incentivo ao génio criador dos angolanos, de modo a perpetuar entre os cidadãos ideias tendentes à compreensão das múltiplas formas da criação artística e diversidade das manifestações linguísticas e culturais do povo e da Nação.

Deixe o seu comentário