Pressão mediática leva Isabel dos Santos a vender posição no EuroBic

kalola Store

A empresária angolana decidiu deixar de ser acionista do EuroBic, segundo um comunicado do banco que informa que já está em curso o processo de venda da posição de 42,5%.

Num comunicado enviado às redacções, o banco informa que Isabel dos Santos tomou a decisão de vender os 42,5% de capital que detém no EuroBic.

A venda já está em curso e, segundo o banco liderado por Teixeira dos Santos, deverá ser concretizada “a muito breve prazo”. Na comunicação ao mercado, a instituição financeira afirma que Isabel dos Santos “renunciou desde já e em definitivo ao exercício dos seus direitos de voto ”. Também outros administradores do banco, indicados por sugestão da empresária – Vanessa Loureiro e Rui Lopes –, renunciaram aos cargos que detinham na estrutura do EuroBic, avançou o documento.

No início da corrente semana, o EuroBic anunciou um corte de relações comerciais com Isabel dos Santos e adiantou que vai fazer uma auditoria às operações relacionadas com a Sonangol. O Luanda Leaks, como foi denominado o escândalo financeiro, revelou no passado fim-de-semana várias transferêncisa suspeitas de fundos de uma conta da Sonangol, no EuroBic, para uma empresa no Dubai controlada por pessoas com ligações a Isabel dos Santos.

A reação do banco resultou da pressão provocada pelas notícias relacionadas com o caso Luanda Leaks. Ainda esta quarta-feira, a Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou que a empresária Isabel dos Santos foi constituída arguida por alegada má gestão e desvio de fundos durante a passagem pela petrolífera estatal Sonangol.

Poucos minutos depois de o EuroBic ter divulgado o comunicado no início desta semana, o Banco de Portugal também veio a público falar sobre o caso. O supervisor anunciou que pediu informações à instituição financeira sobre se agiu de acordo com as regras de branqueamento de capitais e repetiu que está a avaliar toda a nova informação em termos avaliação da idoneidade de Isabel dos Santos.

Fonte: com jornal ECO

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.