Rádio Ecclésia cada vez mais perto da expansão do sinal

kalola Store

Só falta resolver questões técnicas para a Ecclésia começar a transmitir para todo o país. Quanto a ajudar a estancar a proliferação de seitas, como gostaria o Presidente angolano, a emissora diz que não é seu objetivo.

Depois de muitos anos de proibições, a Rádio Ecclésia em Angola vai finalmente poder expandir o seu sinal para todo o país. O Presidente João Lourenço recentemente deu luz verde para tal, embora lembre que a rádio da Igreja Católica tenha sido impedida de chegar a mais gente por certas “razões”. O Presidente espera ainda da Emissora Católica de Angola determinadas posturas que não vão exatamente na linha de atuação da estação. Conversamos com o padre Augusto Epalanga da Rádio Ecclésia.

Em termos práticos o que falta para a expansão do sinal?
Augusto Epalanga (AE):
 Neste momento estamos na fase da reavaliação técnica, porque certamente sabiam que tínhamos um projeto de expansão já faz tempo. No âmbito deste projeto tínhamos instalado emissores e alguns estúdios em dezassete das dioceses de Angola.

Agora estamos a reavaliar as condições técnicas de conservação, para ver como ficaram conservados esses aparelhos e até já sabemos que alguns materiais estão danificados por causa do tempo. E para além disso estamos a negociar com o Ministério da Comunicação Social a questão das frequências para as dioceses e vamos retomar o projeto de forma gradual.

João Lourenço disse também que havia motivos que impediam a expansão, embora não tenha mencionado os motivos. Quais são?
AE: Neste momento não sei se serei a pessoa mais indicada para falar desses motivos. Mas digamos que são aqueles relacionados com a situação política que estávamos a viver. Tudo se resumia a falta de vontade política.

África: E já estão ultrapassadas essas diferenças?
AE: Acredito que sim, estamos a viver uma nova fase. Tudo dá a entender que as coisas estão superadas, as burocracias estão superadas. Agora o que falta são os aprimoramentos técnicos, como eu disse.

O Presidente de Angola tem esperança que a expansão do sinal da Rádio Ecclésia ajude a estancar a proliferação de seitas que surgiram nos últimos anos em Angola. Esse é um dos vossos objetivos também?

E sob o ponto de vista da liberdade de expressão e de imprensa qual é o ganho mais visível para a Rádio Ecclésia neste momento?
AE: A Rádio Ecclésia sempre pautou por andar sempre de acordo com a sua linha editorial. E na sua lógica sempre abordou assuntos que, de qualquer maneira, provocaram de quando em vez confrontos, se é que me posso expressar assim, aquilo que vai contra a própria liberdade de expressão e de imprensa. Agora o ganho é maior porque nessa altura tudo fica mais claro e os ganhos são maiores nesse sentido.

Fonte: DW

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.