Relatório sobre preservação de Mbanza Kongo será conhecido até Dezembro

Gearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion

Angola deve apresentar, até Dezembro, ao Centro de Património Mundial da Organização das Nações Unidas para Ciência e Cultura (UNESCO), o relatório preliminar sobre os progressos no processo de preservação de Mbanza Kongo a Património Mundial da Humanidade.

A informação foi prestada, na quinta-feira, 25, em Luanda, pela ministra da Cultura, Turismo e Ambiente, Adjany Costa, na 5.ª reunião da Comissão Nacional Multissectorial para a Salvaguarda do Património Cultural Mundial, orientada pelo vice-presidente da República, Bornito de Sousa.

No relatório a ser apresentado, Angola país vai explicar à UNESCO que passos e avanços ocorreram no cumprimento das recomendações específicas daquele órgão das Nações Unidas sobre Mbanza Kongo.

No próximo ano, uma delegação da UNESCO efectuará uma visita a Angola, para avaliar os avanços da classificação da antiga capital do Reino do Kongo a Património da Humanidade, bem como o cumprimento das recomendações.

A ministra adiantou que, no relatório a entregar à UNESCO, Angola vai demonstrar todo o progresso feito no processo de preservação deste património.

Adjany Costa adiantou que a comissão está a trabalhar em documentos complementares que permitam melhorar a gestão e o ordenamento das actividades em Mbanza Kongo. A ideia é a protecção dos caracteres e do aspecto histórico que o tornaram património mundial.

“Essas actividades para Mbanza Kongo são importantes para os relatórios de fundamentação do que foi proposto, inicialmente, quando se listou para Património Mundial”, referiu a ministra.

A 8 de Julho, completam-se três anos, desde que Mbanza Kongo foi listado como primeiro Património Mundial Cultural de Angola.

As autoridades angolanas estão a dar todo o tratamento necessário para mostrar à população e à UNESCO que se está a trabalhar para o relatório de fundamentação, apesar da pandemia da Covid-19.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.