Ruanda tem rede de espionagem para intimidar exilados

O Governo do Ruanda está a ser acusado de manter redes de espionagem em certos países, nomeadamente a Austrália, para intimidar refugiados que possam criticar o regime. O alerta veio dos serviços de inteligência australianos e tem sido confirmado pela experiência de ruandeses que vivem em países onde tiveram de se exilar devido às condições actuais no seu país.

Um canal de televisão australiano passou um vídeo em que um ruandês, aparentemente um espião, descreve a existência de missões secretas nas embaixadas do país . O homem, que não sabia que estava a ser filmado, vai ao ponto de referir como os vistos de estudantes são usados para implantar espiões na Austrália.

publicidade

Vários exilados e refugiados têm-se queixado de serem vítimas de intimidação e ameaças. Por vezes, estas referem-se às famílias que eles deixaram para trás, o que pode ser ainda mais angustiante. Além da pressão para os silenciar, o objectivo pode ser o de contratá-los como espiões .

O Ruanda é governado pelo Presidente Paul Kagame há mais de duas décadas e meia, em condições repressivas. Outros países usam a mesma estratégia agora noticiada desde há muito tempo. Exemplos óbvios incluem a China, Coreia do Norte e Irão.

Tal como no caso do Ruanda, há muitos exilados que têm família no país de origem, e ” o governo pode optar por exercer esse poder sobre as mentes dos residentes na Austrália”, conforme explicou um comentador .

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

Fonte: Expresso.

1 comments

Acho que é muito clara a ditadura de Paul Kagame, daí que o que se está a construir hoje no Ruanda poder ruir numa era pôs Kagame. O tempo vai passando, o presidente começa a ficar, cada vez mais pressionado, independentemente do que o Ruanda é hoje do ponto de vista de crescimento e de desenvolvimento, o DEFICIT DE DEMOCRACIA tem estado a falar mais alto …

Deixe o seu comentário