Sindicato dos Jornalistas Angolanos incentiva profissionais afastados pela RNA a processar a administração

kalola Store

Teixeira Cândido, secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA), disse ao Novo Jornal online que este apelo para que os profissionais da Rádio Nacional de Angola (RNA) recorram aos tribunais resulta da constatação de que “a rádio não quer rever o seu posicionamento sobre a medida tomada” mesmo que “juridicamente não exista nenhum enquadramento para essa decisão”

“Os profissionais estão no seu direito para intentar uma acção judicial e o SJA vai apoiá-los”, garantiu, justificando este posicionamento com o facto de os jornalistas em questão terem sido “afastados de forma ilegal” porque ” não violaram nenhuma cláusula contratual”.

“Não faz sentido a expulsão por essa razão (duplo vínculo laboral) uma vez que os colegas não têm com a rádio contrato de exclusividade. E o facto de os colegas trabalharem de manhã para a rádio e de noite para as televisões não há nenhum problema de concorrência desleal”, referiu o sindicalista, tendo acrescentado que ” não se entende qual é a natureza da medida que o conselho de administração da Rádio Nacional de Angola tomou”.

O SJA, esclareceu o seu secretário-geral, não pode, por lei, intentar uma acção contra a RNA mas pode apoiar os seus filiados nessa acção e “é isso que o sindicato vai fazer”.

“Vamos ajudar os colegas a intentar uma acção a ver se conseguem reaver o seu direito de continuarem a trabalhar para a RNA, e é isso que esperamos que resulte” explicou.

De referir que, em Janeiro último, o conselho de administração da Rádio Nacional de Angola afastou vários profissionais da rádio, com destaque para as jornalistas Mara Dalva, Kinna Santos, Leda Macuéria e o jornalista Amílcar Xavier.

Importa salientar que as más condições salariais da RNA fizeram com que grandes profissionais abandonassem definitivamente a emissora, como são disso exemplo os jornalistas Celestino Gonçalves, Salú Gonçalves, António de Sousa e Joaquim Clemente.

Fonte: Novo Jornal Online

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.