Sociedade clama cada vez mais por maior intervenção da justiça

kalola Store

O Presidente de Angola disse hoje em Luanda que os angolanos clamam cada vez mais por uma maior intervenção dos diferentes órgãos de justiça no combate a todo o tipo de crime, incluindo os de “colarinho branco”.

João Lourenço falava no ato de tomada de posse do novo Procurador-Geral da República de Angola, general Hélder Fernando Pitta Grós, que substitui no cargo o general João Maria de Sousa, que atingiu o limite do mandato no princípio deste mês.

O chefe de Estado angolano disse que para se vencer a “batalha” é preciso contar-se com o concurso de todos, desde o pacato cidadão, que em posse de informação da prática de atos ilícitos a pode denunciar às autoridades competentes.

“Passando pelos diferentes serviços de investigação criminal, financeira, ambiental e outros como também pelo Ministério Público, Procuradoria-Geral da República e obviamente desembocando nos tribunais a quem compete julgar e condenar se for caso disso”, disse João Lourenço.

De acordo com o Presidente angolano, se todos esses atores da sociedade e do Estado, conseguirem trabalhar em harmonia e se houver de todos o entendimento de que há necessidade de se “pôr cobro à onda de criminalidade”, que, considerou, “lamentavelmente tomou conta da sociedade”, é certo que esta batalha poderá ser vencida.

“Com esta cerimónia de posse do Procurador-Geral da República, os seus vice-Procuradores e e adjuntos acreditamos que a Procuradoria-Geral da República vai conhecer novos dias, uma outra dinâmica, que com certeza vai contribuir para vencermos esta batalha que é de todos nós”, disse.

Acrescentou ainda que a batalha é igualmente dos políticos, que querem ver “uma sociedade mais justa, livre daqueles elementos que praticam atos que acabam por ser danosos aos cidadãos, danosos à economia e de uma forma geral ao bom nome do país”.

Por sua vez, Hélder Fernando Pitta Grós, disse que este será “o princípio orientador diário” das ações da Procuradoria-Geral da República.

“O Presidente da República como tem enunciado bastantes vezes o combate à criminalidade, em especial a criminalidade do colarinho branco, o branqueamento de capitais, também a corrupção e por fim ao nepotismo, portanto, nós iremos ter a nossa linha de ação dirigida nesse sentido”, garantiu.

Hélder Pitta Grós era até agora vice-procurador-geral da República para a esfera Militar e procurador Militar das Forças Armadas Angolanas (FAA).

O Presidente angolano nomeou ainda Luís de Assunção Pedro da Mota Liz, que se mantém no cargo de vice-procurador-geral da República, e Adão Adriano António, para os cargos de vice-procurador-geral da República para a esfera Militar e Procurador Militar das FAA, igualmente empossados hoje.

Durante a cerimónia, João Lourenço, na qualidade de comandante em chefe das FAA patenteou a grau de general e por inerência de funções Adão Adriano António.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.