Sonangol quer vender “à pressa” prédio na Avenida da República em Lisboa e antigo convento em Setúbal

A Sonangol colocou à venda um prédio situado na Avenida da República, junto ao Saldanha, em Lisboa, e um antigo convento, que foi estabelecimento prisional, em Setúbal. Ambas as operações apresentam um prazo inferior a um mês para a recepção de propostas dos interessados.

A petrolífera estatal angolana indica que receberá propostas em carta fechada pelo edifício localizado junto ao Saldanha até 10 de Setembro. E, acrescenta, o contrato promessa de compra e venda deve ser assinado até 15 de Setembro e a escritura definitiva deve ser realizada até 31 de Dezembro.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

De acordo com os anúncios publicados esta sexta-feira na imprensa portuguesa, as propostas deverão ser dirigidas à Puaça – Administração e Gestão, uma subsidiária, detida a 100% pela Sonangol e presidida por Carlos Saturnino, ex-presidente da petrolífera estatal angolana.

Carlos Saturnino foi nomeado pelo Presidente da República, João Lourenço, para a liderança da Sonangol no final de 2017, mas em Maio deste ano, o chefe de Estado exonerou o conselho de administração da empresa.

O edifício localizado na Avenida da República, nos números 5 a 7, foi comprado em 2009 pela Sonangol, através de uma empresa, por um valor de 38,5 milhões de euros, conforme apurou na altura o jornal Negócios. Anteriormente, o prédio pertencia à Augusta Sociedade de Construções.

Antigo convento em Setúbal também à venda

Adicionalmente, a Sonangol, através da subsidiária Diraniprojects III- Projectos Imobiliários, detida na íntegra pela petrolífera, colocou à venda o antigo convento de Brancanes, em Setúbal.

Segundo o anúncio, as propostas em carta fechada devem ser entregues até 15 de Setembro.

Fonte: Negócios.

Deixe o seu comentário