UNITA na hora da mudança?

Estão abertas inscrições para candidatos à presidência da UNITA que será escrutinado no próximo XIII Congresso Nacional, a realizar entre 13 e 15 de Novembro.

Até aqui tudo normal. No final de cada período e vigência de uma presidência são abertas inscrições para os candidatos que querem ser líderes de um partido ou organização política.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

Tudo normal se não estivéssemos sob o espectro da fluxibilidade vocacional de Isaías Samakuva que, até ao momento, ainda não se decidiu, ou melhor, ainda não definiu qual a sua posição. Se avança para um novo mandato, ou se cumpre a sua promessa de não se recandidatar (ser altura de dar lugar aos novos – Samakuva já tem 73 anos).

Esta semana abriram-se as hostilidades, perdão, o período para os potenciais candidatos à presidência da UNITA se inscreverem, para se apresentarem como candidato à presidência no Congresso Nacional.

Fala-se, que o líder parlamentar do Galo Negro, na Assembleia Nacional, Adalberto da Costa Júnior estará disposto a avançar – o que pode ser um sinal quanto a Samakuva –; também se fala em Abílio Kamalata Numa, Alcides Sakala, ou de um dos filhos de Jonas Savimbi, Rafael Massanga Savimbi, – que, segundo alguns, seria uma opção vista com bons olhos por Samakuva, no que seria outro sinal de Samakuva – não sendo de excluir uma recandidatura do anterior candidato Estevão José Pedro Kachiungo, de Lukamba Gato ou, mesmo, de Raúl Dada…

Mas, como a política não consegue sobreviver sem um mas, como o referido período vai até ao final do corrente mês, tudo pode acontecer. Até porque se sabe que há uma forte – há quem garanta, ser fortíssima, – corrente que deseja que Isaías Samakuva seja sucessor de si mesmo. Será que há quem tema perder certos privilégios.

Costuma-se a dizer que nas costas dos outros, vejo as minhas. E alguns devem se estar a ver a si mesmos, pelo que se passou pelas costas de José Eduardo dos Santos.

Pelo menos, em finais de Julho passado, o Jornal de Angola, citando fonte anónima (?!), afirmava que Samakuva seria sucessor de si mesmo “Está desfeito o mistério. Isaías Samakuva vai mesmo recandidatar-se à liderança da UNITA, no XIII Congresso do partido, que se realiza entre os dias 13 e 15 de Novembro deste ano”. Fonte anónima, ou vontade que manter quem tem sido um perdedor? Só o Jornal de Angola pode esclarecer o que se passou na10ª reunião ordinária do Comitê Permanente da Comissão Política da UNITA…

Rememoro um texto da jornalista Ana de Sousa, para o Vanguarda – infelizmente com a saída da jornalista do Vanguarda, o texto já não se encontra disponível –, onde afirmava que Samakuva era o melhor candidato da UNITA para o MPLA; será porque?…

Será porque, e recordemos, que Samakuva já foi derrotado nas legislativas – e presidenciais – de 2008, 2012 e 2017 e que, em Setembro de 2017, em declarações a Daniel Frederico. da RFI, relembrou que no discurso de abertura da reunião Comissão Política, em 2015 que «iria deixar a presidência daquele partido depois as eleições, independentemente dos resultados» “Afirmei aos angolanos antes e durante a campanha eleitoral que depois das eleições deixaria o cargo de Presidente da UNITA para servir o partido numa posição diferente. Mantenho e reafirmo esta decisão. Terminada a fase eleitoral e encontrando-nos no dealbar do novo ciclo político, acho ter chegado o momento para desencadearmos o processo conducente à materialização desta decisão”».

Pessoas de palavra, não mudam. Podem tenter “gerar” alguém à sua imagem para que continue a sua linha de pensamento, mas devem cumprir o que prometem. Ainda que na política, o que foi verdade ontem, já não é verdade hoje e passará à História amanhã. Mas, quando as afirmações ficam escritas, mesmo que não queiram, a memória colectiva está sempre presente…

Perante aquela afirmação, e recordando que Adalbero da Costa Júnior afirmava que nunca seria candidato contra Samakuva, pode-se inferir que o presidente da UNITA, Isaías Henriques Ngola Samakuva, de 73 anos, deixará o cargo para um dos candidatos que vir as suas teses aprovadas.

Falta saber quem será o próximo presidente da UNITA e – não tão despiciente assim – a sua origem de nascimento. Há quem visse com bons olhos a eleição de alguém que não fosse de origem ovimbundo para tornar o partido mais nacional…

Até 30 de Setembro as inscrições estão abertas. Em meados de Novembro os angolanos, em geral, os militantes e simpatizantes da UNITA, em particular, e a entourage do MPLA, peculiarmente, saber-se-á quem estará à frente do Galo Negro e qual o impacto que o mesmo e as suas teses tiveram, ao longo deste período de cerca de mês e meio entre as propostas de candidaturas e a apresentação das sua teses, junto dos militantes.

Ainda que haja conferências provinciais para aprovação das teses e eleição dos delegados à XIII Conferência Nacional, na realidade, a eleição para presidente da UNITA não é de forma directa, mas pelo impacto do voto dos delegados do Congresso Nacional. É que estes, no final, podem acabar por não estar em sintonia com a vontade dos militantes que os elegeram…

* Investigador do Centro de Estudos Internacionais do ISCTE-IUL(CEI-IUL) e investigação para Pós-Doutorado pela Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Agostinho Neto**

** Todos os textos por mim escritos só me responsabilizam a mim e não às entidades a que estou agregado

Deixe o seu comentário