Vietnamitas abordam questões de segurança com autoridades angolanas

kalola Store

As autoridades angolanas e vietnamitas estão a discutir questões que têm que ver com a segurança, economia, relações culturais, desportivas e comerciais entre os dois países que, se diga de passagem, relacionam-se há muitos anos.


É com este intuito que o Vice-presidente da Procuradoria Popular Suprema da República Socialista do Vietname, Trang Cong Phan, foi recebido esta segunda-feira, 16 de Dezembro, pelo Ministro do Interior de Angola, Eugénio César Laborinho, na Sala de Reuniões do Ministério do Interior, em Luanda, depois de o ter feito na PGR, em Angola.


Na abertura do encontro e num tom de boas vindas, o General Laborinho começou por manifestar a sua satisfação em receber a entidade do Vietname representada em Angola, discorrendo o percurso das relações existentes entre os dois Estados que, segundo o Titular do MININT, remontam desde os alvores da independência nacional e sustentam-se nos acordos gerais de cooperação económica, técno-científica e cultural, bem como outros instrumentos jurídicos essenciais no melhoramento e desenvolvimento da cooperação bilateral.


Em matéria de Segurança e Ordem pública, Eugénio Laborinho recordou as excelentes relações que, como disse, remontam do acordo rubricado a 21 de Outubro de 2014, em Hanoi, Vietname.
O governante angolano sublinhou, igualmente, que este instrumento jurídico constitui o alicerce primordial para o reforço da cooperação existente, na vertente das pastas deste Departamento Ministerial e a sua congénere do Vietname, concluiu.


Por seu turno, o vice-presidente da Procuradoria-Geral do Vietname, agradeceu o ensejo e encorajou as autoridades angolanas a prosseguirem os esforços tendentes ao melhoramento, a cada dia que passa, das relações bilaterais.
“É preocupação do seu país os casos de assaltos, tendo como vítimas cidadãos seus, pelo que, pede mais segurança a eles”, referiu.


No âmbito de acordos concretos, aquela entidade revelou ser do seu interesse e do seu País a assinatura de um acordo de extradição de vietnamitas que estejam em Angola e em conflito com a Lei, bem como, angolanos residentes no Vietname que sejam partes de processos judiciais naquele País amigo.


Recorde-se que, em Angola residem um número considerável de cidadãos desta parcela territorial, muitos dos quais a prestarem serviços de carácter educativo, social, construção, entre outros.
Na realidade e segundo dados oficiais, vivem em Angola cerca de 4.191 vietnamitas, sendo 3049 com vistos, dos quais 267 de residência, 408 de permanência temporária e outros em situação por legalizar.
De resto, existe um bom número de ilegais mas, segundo consta, bem controlados e fora do leque das comunidades que preocupam as autoridades policiais, em função do grau de perigosidade ou não dos mesmos.

Fonte : Minint.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.