Visita de Estado de Marcelo a Angola passa por Luanda, Huíla e Benguela

A visita de Estado do Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, a Angola, onde estará na próxima semana, vai dividir-se entre a capital, Luanda, e as províncias da Huíla e Benguela.

Marcelo Rebelo de Sousa chega a Luanda na terça-feira de Carnaval, 5 de Março, para estar presente no aniversário do chefe de Estado angolano, João Lourenço, que completa 65 anos, mas a sua visita de Estado do tem início no dia seguinte.

No dia 6 de manhã, Marcelo Rebelo de Sousa será recebido pelo Presidente da República, João Lourenço no Palácio da Cidade Alta e os dois darão uma conferência de imprensa. Depois, de tarde, o Presidente português discursa numa sessão solene na Assembleia e terá depois um encontro com estudantes universitários no auditório Maria do Carmo Medina da Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto. Marcelo dará “uma aula” aos alunos angolanos e portugueses presentes, respondendo a perguntas dos estudantes.

Depois de Luanda, na quinta-feira, 7 de Março, Marcelo passará pela cidade do Lubango, na província da Huíla, onde será recebido pelo governador provincial, Luís da Fonseca Nunes. O chefe de Estado português dará uma palestra na universidade Mandume Ya Ndemufayo, participará de um almoço oferecido pelo governador da Huíla e visitará a Escola Portuguesa do Lubango ( inaugurada em 1998).

Já no final da tarde de quinta-feira, 7 de Março, Marcelo Rebelo de Sousa parte para Benguela onde manterá um encontro com o governador provincial, Rui Falcão Pinto de Andrade. Ainda neste mesmo dia, o Presidente português participará de um fórum Económico na cidade de Benguela, seguindo depois para o Lobito onde deverá pernoitar.

Na sexta-feira, dia 08 de Março, Marcelo Rebelo de Sousa começa o dia com uma visita à sede do Porto do Lobito, e parte do Lobito para Catumbela numa inédita viagem de comboio. Depois segue de automóvel para a cidade de Benguela, onde lhe será oferecido um almoço no Palácio da Praia Morena (residência oficial do Governador de Benguela).

Marcelo parte para Luanda no início da tarde de sexta-feira, 8 de Março. Já em Luanda visita o laboratório de qualidade alimentar (16:30) e manterá depois um encontro com jornalistas nacionais e estrangeiros.

Na noite de sexta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa estará presente na entrega do Prémio António da Mota e será anfitrião numa recepção ao corpo diplomático acreditado em Angola e a membros da sociedade civil, seguido de um espectáculo musical luso-angolano. Todas as cerimónias terão lugar no hotel Epic Sana, que é também o hotel onde Marcelo e sua comitiva têm montado o seu “bunker” durante esta visita de Estado a Angola.

A visita do Presidente português termina a 9 de Março, data em que completa três anos de mandato. Na manhã deste sábado, 9 de Março, Marcelo Rebelo de Sousa visita o Museu das Forças Armadas, na antiga Fortaleza de São Miguel, regressa ao Palácio da Cidade Alta para se despedir do seu homólogo, João Lourenço. No início da tarde (12:30) manterá um encontro com a comunidade portuguesa na Escola Portuguesa de Luanda, seguindo-se depois um encontro com jornalistas nacionais e estrangeiros também instalações da Escola Portuguesa de Luanda.

Marcelo Rebelo de Sousa deixa Luanda quando forem 16h:00 de sábado, 9 de Março.

O Presidente português estará acompanhado nesta visita pelos ministros dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, e da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, bem como pela secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro.

Marcelo Rebelo de Sousa disse recentemente que parte para a visita de Estado a Angola com “espírito de diálogo, no quadro dos países irmãos, dos povos irmãos que falam português”.

No Palácio de Belém a visita está a ser preparada como uma das mais importantes que o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa fez nestes três anos que leva de mandato. No Palácio da Cidade Alta em Luanda, o Presidente João Lourenço terá dado orientações para que o seu homólogo português seja recebido com um “banho de carinho e afectos”.

Deixe o seu comentário