Visita de Xi Jinping a Lisboa: Presidente chinês paga 2 milhões de euros para ter o Ritz por sua conta

kalola Store

Dois milhões de euros é quanto Xi Jinping, o Presidente da China, em visita de Estado de dois dias a Portugal (4 e 5 de Dezembro), pagou para ter por sua conta o histórico Hotel Ritz durante dois dias.

Mas a despesa feita pelo líder daquele país, que se quer colocar no lugar dos grandes, EUA e Rússia, e que já afirmou que o seu país é uma nova superpotência, não fica por aqui .

Xi Jinping, que só confia em produtos Made in China, dispensou a carroçaria portuguesa e traz consigo as três limusines blindadas em que costuma deslocar-se. Mas, como estas têm dimensões superiores às habituais, houve necessidade de alargar quer a entrada da garagem do Hotel Ritz, quer mesmo o portão da saída de emergência do Aeroporto Humberto Delgado, por onde o Presidente chinês, entre apertadas medidas de segurança, entra hoje, pelas 8h00 locais (9h00 em Luanda). Em ambos os casos, as obras ficaram a suas expensas.

As cautelas do líder chinês, cuja comitiva e corpo de segurança se deslocam para Portugal em dois aviões, não ficam por aqui . O Ritz vai ter de adaptar o seu buffet pantagruélico e as suas famosas caldeiradas e cataplanas ao arroz chau chau. Xi Jinping trouxe na comitiva o seu próprio cozinheiro, que tratará dos seus repastos .

Nesta visita, que está a ser preparada há meses, o Presidente da China vai pernoitar numa das luxuosas suítes do Ritz, no décimo piso, com vista para toda a cidade.

É a primeira vez que o Hotel Ritz cede a este tipo de comércio. O Hotel Ritz nunca tinha fechado as portas a pedido de um único cliente. O Governo chinês é o primeiro a consegui-lo. O ex-Presidente Bill Clinton, numa das suas visitas a Portugal, tentou ficar com o exclusivo, mas as suas pretensões não tiveram sucesso.

O ramerrame da vida dos residentes e trabalhadores do quarteirão onde se localiza o Ritz, no coração lisboeta, enquanto o estadista chinês permanecer em Lisboa, é que não vai ser o mesmo, pois a circulação está fechada e é restrita a residentes. E mesmo estes têm de obedecer a regras, sendo revistados sempre que entram e saem na zona. Os comerciantes terão de informar a polícia sobre clientes que estejam nas imediações e estes serão escoltados .

Fonte : Jornal i.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.