Madeira: Ritmos, sabores e valores culturais de Angola em destaque no Dia Mundial da Diversidade Cultural

A iniciativa decorreu no Jardim Municipal do Funchal e foram várias as nacionalidades representadas naquele que foi um evento marcado por ritmos, sabores, e diversidade cultural.

No local, foram montadas várias tendas, onde era possível experimentar a gastronomia e conhecer produtos tradicionais de diversos países. A tenda de Angola foi das mais visitadas por madeirenses, turistas e também membros da comunidade angolana residentes na Ilha da Madeira. Além de Angola, estiveram representados países como a Venezuela, Ucrânia, Rússia e Guiné-Bissau. Destaque para o facto de Ucrânia e Rússia partilharem a mesma tenda, apesar de existir neste momento um corte de relações políticas e diplomáticas entre os dois países. Um sinal de que as relações entre os povos superam qualquer divergência política e diplomática.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

Jorge Carvalho, secretário regional da Educação, com a tutela das Comunidades, enalteceu a participação de Angola e considerou o evento “uma forma de promover, através da interculturalidade , a integração das diferentes comunidades da Região”.

“É uma presença que para nós é extremamente gratificante, não só porque temos uma comunidade significativa, mas porque, também há uma comunidade madeirense que no passado esteve envolvida com Angola. E é sempre importante termos momentos onde podemos reviver estes princípios e aspectos da cultura, e no fundo podemos usufruir também desta interculturalidade, estes momentos de congregação de diferentes culturas”, disse o secretário regional.

Jorge Carvalho falou também da integração da comunidade angolana na sociedade madeirense.

“Temos uma comunidade angolana bem integrada na cultura madeirense, porque beneficia logo de uma condição que é o facto de dominar a língua. (…) É uma comunidade que está integrada , é empreendedora e é uma comunidade que tem um excelente relacionamento com as restantes comunidades e particularmente com a comunidade madeirense”, concluiu.

Claúdia Vieira é vice-presidente da Associação dos Angolanos Residentes na Madeira “Arco Angolano”, e destacou a importância da presença institucional e cultural de Angola no Dia da Diversidade Cultural no Funchal.

“Termos cá uma representação forte do Consulado-Geral de Angola em Lisboa é importante para dar uma alavanca, sustentabilidade institucional e uma credibilidade que faz falta para o reconhecimento da cultura angolana. Portanto, esta representação consular lança as bases e as raízes para uma presença regular, simbólica e bastante positiva de Angola e dos angolanos”, disse a dirigente associativa.

A delegação angolana foi chefiada pelo vice-cônsul das Comunidades, Mário Silva, contou também uma actuação do grupo de música tradicional angolana, Jovens do Hungo, uma exposição de peças de artesanato e demonstração de gastronomia.

“Recebemos um convite da direcção das Comunidades da Madeira para participar este evento de tamanha importância para afirmação da diversidade cultural das comunidades que vivem na Região da Madeira. Trouxemos o grupo de música tradicional angolana Jovens do Hungo, que pela primeira vez actuam aqui na Madeira, a nossa gastronomia e a riqueza do nosso artesanato. Temos uma comunidade angolana bastante representativa e bem inserida na sociedade madeirense, temos associações comunitárias de angolanos, como a Casa de Angola e o Arco Angolano que têm recebido o nosso apoio institucional”, disse o diplomata angolano.

Deixe o seu comentário