Estaleiros Navais de Peniche apostam na formação e capacitação de quadros angolanos

kalola Store

Maria Antonieta Baptista, Ministra das Pescas e do Mar chefiou a delegação que nesta segunda-feira, 20 de Maio, visitou os Estaleiros Navais de Peniche (ENP)

Durante uma hora, a governante angolana e membros da sua comitiva percorreram as instalações dos ENP e tomaram contacto com áreas de funcionamento da empresa.

Com uma área de aproximadamente 50.000 m2, da qual 34.000 m2 são de estacionamento para as embarcações em reparação, os Estaleiros Navais de Peniche dispõem de uma plataforma de elevação, com 6 cilindros hidráulicos sincronizados, para embarcações até 50 m de comprimento fora a fora e 700 toneladas de deslocamento.

Os Estaleiros Navais de Peniche dispõem actualmente das seguintes secções productivas: Compósitos, Construção Naval (Aço), Serralharia Mecânica, Carpintaria Naval e Manobras/Pintura, totalizando uma área coberta de 8.300 m2, incluindo duas naves cobertas para a construção em aço ou reparações abrigadas.

No final da visita, Maria Antonieta Baptista, destacou a parceria estabelecida entre os ENP e o Ministério das Pescas e do Mar, no fornecimento de embarcações de apoio à pesca e também a fiscalização marítima.

“Esta visita confirma que o investimento que fizemos neste parceiro é bom. Este parceiro acabou de fornecer a Angola dez embarcações e, vai fornecer mais uma. São embarcações costeiras que nós de uma forma improvisada, colocaremos à disposição da fiscalização para apoiar a Operação Transparência. Tão logo inicie a segunda fase do projecto, nós iremos substituí-las por estas. Na verdade, são embarcações de pesca e nós iremos fazer a sua substituição por outras de maior velocidade, de maior capacidade, afim de apoiar a fiscalização até as 250 milhas”, disse a ministra.

A formação técnica e capacitação de quadros angolanos nos Estaleiros Navais de Peniche foi também um dos principais motivos da visita de Maria Antonieta Baptista às instalações da empresa .

“Nós temos estado a trabalhar com os Estaleiros Navais de Peniche para ver se conseguimos capacitar mais técnicos nossos. Recentemente, estiveram aqui alguns funcionários do Ministério das Pescas e do Mar para fazerem cursos de motores e cursos de salvamento no mar”, reforçou .

Jorge Brandão, CEO dos ENP, destacou a importância do mercado angolano para a sua empresa e a aposta na formação contínua de quadros.

“Angola é para nós um mercado importantíssimo e não é um mercado importantíssimo de fornecimento. Angola é mercado importantíssimo de relacionamento, de capacitação dos recursos angolanos e de transferência de Know-How. (…) Tivemos aqui 12 quadros angolanos em formação, quer da Polícia Fiscal, quer do Ministério das Pescas. Eles fizeram um programa completo de formação, não só aos motores, não só na construção, operação e manutenção de lanchas. Estamos também a aguardar um primeiro grupo de operários angolanos que vão passar aqui dois ou três meses connosco num programa de formação on Job“, assegurou .

Carlos Alberto Fonseca, embaixador de Angola em Portugal acompanhou a visita da delegação angolana aos estaleiros de Peniche e fez um balanço positivo da actividade .

“Foi uma boa visita, sobretudo por aquilo que foi possível constatar em termos de possibilidades de cooperação. (…) Esta é uma empresa que está a ajudar a apetrechar a nossa indústria pesqueira e que vai também contribuir para a formação de quadros nacionais nesta área”, disse o diplomata angolano.

Os Estaleiros Navais de Peniche nasceram em 1994, após terem ganho a concessão das instalações existentes no Porto de Peniche e pela fusão de diversas empresas locais que trabalhavam na área da Construção e Reparação Naval.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.