Multichoice recusa ligações políticas à decisão de excluir da sua grelha canais da SIC

“A empresa não aceita e classifica como falsa a informação e qualquer associação, seja de que forma for, das marcas DSTV e Multichoice a um canal de natureza política” , diz a Multichoice.

A decisão da Multichoice Angola surge depois de em Março a outra operadora em Angola, a ZAP , ter feito o mesmo.

Entretanto, a SIC , que tem sido fortemente criticada em Angola devido à emissão de reportagens e notícias de conteúdo crítico, que em muitos sectores é a razão apontada para ficar sem alguns dos seus canais acessíveis no país, tornou hoje público que é ” totalmente alheia ” à decisão da Multichoice/ DSTV.

Já aquando da opção semelhante da ZAP em março último, os serviços da SIC , remeteram quaisquer explicações sobre o facto de a SIC e a SIC Notícias terem saído da grelha para a operadora.

Tanto num caso como no outro, a saída dos canais do grupo português Impresa é justificada com opções internas, afirmadas, como foi o caso da ZAP, ou supostas, segundo a Multichoice, que apenas informou os clientes ao mesmo tempo que lamentava eventuais transtornos.

Fonte: Novo Jornal.

Deixe o seu comentário